Como Ser Uma Boa Esposa Segundo Um ''tal'' Guia dos Anos 50

Há cerca de um ano e meio, navegando pela internet a procura de imagens refentes as donas de casa vintage, encontrei um artigo cujo texto constrangedor  me deixou perplexa. Se tratava de uma matéria publicada em 13 de maio de 1955  por uma revista chamada ''Housekeeping Monthly'' com alguns ''conselhos'' de como ser  uma boa esposa segundo o lifestyle dos anos 50.
A medida que lia os tópicos, minha indignação aumentava. A lista é tão absurdamente sexista que mesmo eu, que me considero uma pessoa a moda antiga não me senti nenhum pouco confortável com o que estava diante dos meus olhos.

Com muita raiva, na mesma hora comecei escrever um artigo a respeito, que acabei não publicando,  não me recordo o porquê. Deixei nos rascunhos, junto a outras  dezenas de artigos ainda não terminados onde ficou por um longo tempo; até agora. Há algumas semanas, revendo os arquivos, resolvi mostrar-lo à meu marido (que ficou constrangido), percebi que deveria verificar a origem  do texto infame, antes de  sair publicando sem nenhuma certeza da veracidade embora o texto já tenha sido amplamente publicado e compartilhado por centenas de blogs e sites Internacionais, inclusive alguns bem conceituados.  Apesar disso, o suposto Guia da Boa Esposa foi contestado, e aparentemente não passa de mais uma fake news. Um terrível, desastroso e infeliz viral que comprova o quanto temos de ser cautelosos quando compartilhamos um link. Pelo visto, e espero que seja verdade, eu tenha me irritado a toa.

Talvez você já tenha recebido por email ou visto em algum lugar por aí na internet, o tal guia, caso não, vou deixa-los a par da situação (re)apresentando as tais 18 regrinhas básicas do famigerado, Guia da Boa Esposa dos anos 50.
Minhas queridas leitoras, mães, esposas e donas de casa, respirem fundo e controlem suas emoções.


1. Tenha o jantar sempre pronto. Planeje com antecedência. Esta é uma maneira de fazer com que o seu marido  saiba que se importa com ele e com as suas necessidades.


2. A maioria dos homens estão com fome quando chegam em casa, e esperam uma boa refeição (especialmente se for seu prato favorito), faz parte de uma recepção calorosa.


3. Separe 15 minutos para descansar, assim estará revigorada quando ele chegar. Retoque a maquilhagem, ponha uma fita no cabelo e pareça animada.


4. Seja amável e interessante para ele. O seu dia foi difícil, e precisa que o anime, é uma das suas funções fazer isso.


5. Mantenha a casa arrumada. Dê uma volta pela parte principal da casa antes do seu marido chegar. Junte os livros escolares, brinquedos, papel, e em seguida, passe um pano sobre as mesas.


6. Durante os meses mais frios deve preparar e acender a lareira, para ele relaxar. Assim, o seu marido vai sentir que chegou a um lugar de descanso e refúgio. Afinal, mantendo o seu conforto, você terá satisfação pessoal.


7. Dedique alguns minutos para lavar as mãos e os rostos das crianças (se eles forem pequenos), pentear os cabelos e, se necessário, trocar de roupa. As crianças são pequenos tesouros e ele gosta de vê-los assim.


8. Minimize os ruídos. Quando ele chegar desligue a máquina de lavar, de secar ou aspirador. Incentive as crianças a ficarem quietas.


9. Mostre que está feliz por vê-lo. Receba-o com um sorriso caloroso, mostre sinceridade e desejo em agradar. Ouça-o.


10. Mesmo que tenha muita coisa para lhe contar, a sua chegada não é o momento. Deixe-o falar primeiro, lembre-se, os temas de conversa dele são mais importantes que os seus.


11. Nunca reclame se ele chegar tarde, sair para jantar fora com os amigos ou para outros locais de entretenimento sem você. Em vez disso, tente compreender o mundo de tensão e pressão dele, e a necessidade de estar em casa e relaxar.


12. O seu objetivo: certificar-se de que sua casa é um lugar de paz, ordem e tranquilidade, onde seu marido pode se renovar em corpo e espírito.


13. Não o cumprimente com queixas e problemas.


14. Não reclame se ele se atrasar para o jantar ou passar a noite fora. Veja isso como pequeno em comparação ao que ele pode ter passado durante o dia.


15. Deixe-o confortável. Faça com que ele se incline para trás numa cadeira agradável ou que se deite no quarto. Tenha uma bebida fria ou quente pronta para ele.


16. Prepare uma almofada e ofereça-se para tirar os sapatos dele. Fale em voz baixa, suave e agradável.


17. Não lhe faça  perguntas sobre as suas ações ou que questionem a sua integridade. Lembre-se, ele é o dono da casa e, como tal, irá sempre exercer sua vontade com imparcialidade e veracidade. Você não tem o direito de o questionar.


18. Uma boa esposa sabe o seu lugar.

É ou não um abuso?
O polemico e odiado manual correu o mundo mesmo antes da internet ser popularizada. Lá pelos anos 80, foi divulgado via fax, sem a menor possibilidade de checar sua fonte e  autenticidade, mais tarde viralizou por e-mail. A novidade deve ter inflamado o humor, causado muitas discussões exaltadas, xingamentos e até mesmo gargalhadas em quem leu.
Quanto a mim, passado o choque inicial,  realmente achei que fosse uma piada; de  gosto muito duvidoso por sinal! Depois fiquei revoltada, por fim me acalmei, ponderei e cheguei a conclusão de que havia algo muito estranho com este manual. Mais calma, fui mais a fundo na história para descobrir de onde havia surgido  essa tolice histórica. O assunto pra mim havia se tornado pessoal (risos). Mergulhei numa extensa pesquisa que me custaram várias horas de leitura de dezenas de blogs. Para minha completa surpresa encontrei apenas uma fonte que declara que o tal guia como é apresentado, é falso!

Verdadeiro ou Falso

Capa de 19 de janeiro de 1957 da revista inglesa John Bull de onde a imagem foi retirada.
Segundo o snopes.com, site americano estilo caçadores de mitos cibernéticos (como o e-farsas), especializados em validar e desmascarar lendas urbanas e boatos da cultura popular de seu país,  afirma que o artigo da ''Housekeeping Monthly'' é um embuste. Um detalhe na foto levantou suspeitas.
Com base na analise da ilustração usada no artigo e a inexistência material que comprovasse a originalidade do texto, no caso, a revista de economia doméstica de onde supostamente o guia foi copiado, o Snopes afirma que o artigo é falso.  Além desta pista, não existe nenhum outro registro da revista nas pesquisas Google, a não ser as que direcionem as centenas de sites e blogs que publicaram o mesmo conteúdo do Guia da Boa Esposa. Um arquivo na Wikipédia diz que a revista ''Housekeeping Monthly'' se quer existiu! 

No  canto superior direito  imagem abaixo da suposta publicação esta escrito Advertising Archives.  O Advertising Archives é um site especializado em  publicidade  criado em 1990 e possui em seu extenso acervo ilustrações digitalizadas desde meados do século 19 até o presente. A ilustração abaixo provavelmente foi retirada do acervo, editada e redigitalizada. 




 ''Nós sabemos que o gráfico reproduzido acima (supostamente a partir da edição de 13 de maio de 1955 de uma revista chamada Housekeeping Monthly ) é uma montagem: não apareceu antes de que a lista "Como ser uma boa esposa" tenha começado a circular por e- mail, e é claramente um documento produzido pela adição do texto do e-mail em torno de uma imagem tirada de uma capa de 1957 da revista John Bull. A própria imagem possui uma legenda de "Advertising Archives", indicando sua origem. Quanto ao texto em si, ninguém apresentou a tal revista com o texto infame que supostamente incluía as tais regras. A lista é muitas vezes atribuída ao livro de Helen B. Andelin, ''Fascinating Womanhood'', publicado pela primeira vez em 1963 para fornecer instruções sobre "A arte de ganhar o amor completo de um homem", mas nenhuma lista aparece nesse trabalho''. Trecho retirado do site Snopes.

A  verdade é que o ''The Good Wife's Guide'' causou um enorme desconforto por onde passou.
Quero ressaltar que relutei muito em publicar este artigo. Li e reli várias vezes, reescrevi e editei mais umas quantas que quase desisti. Mas eu tinha que faze-lo! Não poderia reprimir minha opinião verdadeira a respeito ainda mais após ter recém revisto um dos meus primeiros posts, de abril/2015 - Ocupação: Dona de Casa.
Posso parecer ''machista'' , mas na verdade, quem é mãe, esposa e dona de casa, principalmente em tempo integral sabe; fazemos quase tudo o que reza o tal guia e nem por isso somos umas pobres coitadas! Eu disse QUASE TUDO! Certas coisas nele, são perversas e degradantes.
É lamentável, e por isso não podemos negar que, abusos muito piores do que estes do suposto guia, aconteciam mesmo; e pior, ainda acontecem diariamente em plenos 2018!
Homens extremamente rudes, cruéis, possessivos e tiranos sempre existiram envergonhando os demais que em sua maioria são bons homens. Essa minoria grotesca acabam gerando confrontos entre o sexo oposto que muita vezes  beira a insanidade. Embora seja verdade que no passado as mulheres tinham bem menos espaço que hoje,  passar uma imagem de que ser dona de casa nos anos 50 era sinônimo de opressão, que estava fadada ao destino da mais completa infelicidade,  é atestar total estupidez, além de uma tremenda intransigência e negligencia, generalizando o comportamento social e familiar de uma geração que construiu o período mais sólido da sociedade moderna, e lógico, a mulher, a dona de casa, teve grande participação nessa construção.

Particularmente, e não é segredo pra ninguém, sou muito fã do estilo anos 50 das donas de casa e não me simpatizo de forma alguma com o discurso neofeminista.
Belas, recatadas e do lar, mulheres daquele tempo foram realmente fascinantes em todas as circunstâncias; política, familiar, ou profissional. Foi um tempo de muitas mudanças na sociedade em geral, um período inspirador para os aficionados pelos velhos tempos, que nos trás aquela sensação de nostalgia de que nascemos na época errada. Mulheres infelizes, casamentos desastrosos e homens maus, infelizmente existiram, sejam nos anos 50, 70 ou 2000.

Quanto as regras do famigerado guia,  me parece surreal demais, até para os velhos tempos! Qual mulher deste, ou de qualquer outro planeta, em qualquer que seja a época vai deixar de fazer uma reclamação? Isto é algo completamente inerente a nossa natureza! Reclamamos mesmo! E se reclamar, reclamaremos de novo e de novo! E os itens  14 e 17?? Meu deos do céu!! São totalmente ultrajantes, só alguém muito doente pensaria numa possibilidade dessas!
O 18, sem comentários, claramente um chamado a provocação, só cai nessa quem quer. Até porque desde sempre soubemos que o nosso lugar é onde queremos estar.

Fraude ou não, comportamentos abusivos só demonstram uma coisa: covardia! Enfim, a finalidade deste post não é instigar uma guerra dos sexos, pelo contrário, quero deixar claro que não dá para promover uma mudança nas atitudes entre ⚣ e ⚤ se usarmos de meias verdades, provocações ou ignorância .
O passado é uma escola que nos apresenta lições diárias, tanto boas quanto ruins e nos mostra que podemos aprender e evoluir sempre, para não cometermos os mesmos erros do passado. Felizmente podemos refletir sobre o comportamento de homens e mulheres e através da mudança no comportamento de cada um,  haja direitos igualitários, deveres proporcionais e respeito mutuo nas próximas das gerações.

É triste também ter que admitir que alguém, homem ou mulher tenha tido a brilhante ideia de criar algo como este tal guia, apenas com o intuito de criar polêmica, ou melhor, intriga. Se realmente for falso, é ainda mais preocupante. Nos prova o quanto alguns indivíduos podem ser ainda mais infelizes do que a imagem da mulher da qual o amargo escritor retratada em seu guia inútil. Cabe a nós  usarmos do bom senso na ora de escrever e repassar o que lemos  nos reguardando do sensacionalismo mesmo  que possa parecer algo de grande interesse público. Antes de sair postando/compartilhando tudo o que vemos por aí ou comprando brigas inúteis é preciso ter muita e no mínimo procurar se o conteúdo é confiável. Infelizmente nesse mundo virtual, não importa muito a veracidade da notícia desde que garanta uma boa polêmica e dispare as visualizações, basta. 


Para finalizar este textão, espero que o post tenha sido relevante de alguma maneira para você meu caro leitor já que dadas as circunstâncias, seria muita ingenuidade minha achar que a maioria se importa se o Guia da Boa Esposa seja verdadeiro ou falso.

Se este artigo aguçou sua curiosidade a respeito das donas de casa nos anos 50, prepare-se por que este assunto vai render muito pano pra manga!
... 

Beijos desta dona de casa quase perfeita que vos escreve 

Cíntia Carvalho
''Donna Pepper''


























Donna Pepper

Muito obrigada por sua visita, espero que tenha gostado do viu por aqui e espero ter a honra de seu retorno. Sua opinião é muito importante, conto com seu comentário. Beijinhos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário